PERFORMANCE PRESENTE

Eliezer Pandolfo da Silva, Rosângela Fachel de Medeiros

Resumo


O presente artigo realiza um percurso cronológico sobre a história da performance a nível mundial, pontuando momentos e pessoas de extrema relevância para a sua estruturação e consolidação como linguagem própria de arte. Ou seja, trás elementos importantes para que de fato, a performance seja identificada como linguagem de arte. Para tanto, utilizamos autores que desenvolveram pesquisas concretas e significativas sobre a performance, tais como Goldberg (2006), Glusberg (2005), Cohen (2007) entre outros. Dessa forma, pretendemos estabelecer uma conexão reflexiva e esclarecedora entre a pesquisa produzida e leitor que usufruirá do mesmo.


Referências


COHEN, R. Performance como linguagem. 2.ed. São Paulo: Perspectiva, 2007.

DAOLIO, J. Da cultura do corpo. Campinas: Papirus, 1995.

GLUSBERG. J. A arte da performance. São Paulo: Perspectiva, 2005.

GOLDBERG, Rose Lee. A arte da performance. Ed. Orfeu Negro, 2ª edição. 2006.

KOFES, S. E sobre o corpo, não é o próprio corpo que fala? Ou o discurso desse corpo sobre o qual se fala. In: BRUHNS, H.T. (Org.). Conversando sobre o corpo. Campinas: Papirus, 1985.

LE BRETON, D. A sociologia do corpo. Petrópolis/RJ: Vozes, 2009.

RAJCHMAN, JOHN. O pensamento na arte contemporânea (2011). Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002011000300005. Acesso em 12 abril 2017.

RODRIGUES, J.C. Tabu do corpo. 4.ed. Rio de Janeiro, Dois Pontos, 1986.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .